Minicursos

Clique sobre um título para ver mais informações

  • 1 - A (RE) CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO E AS CONSEQUÊNCIAS PARA O MEIO AMBIENTE

    Por: Maria Pereira da Silva Xavier (CTF/UFPI)

    O objeto de estudo da geografia é o espaço geográfico, entendido como espaço social, concreto, em movimento. Estudar esse espaço é estudar a sociedade, a natureza e o resultado da dinâmica entre ambas. Nesse sentido, pretende-se nesse minicurso fazer uma breve discussão de como o processo de (re) construção do espaço geográfico promove alterações no meio ambiente, e as consequências dessas alterações. De acordo com Santos (1997) espaço geográfico é um conjunto indissociável de sistemas de objetos e de sistemas de ações. E, para entendermos o que seria esse sistema de objetos, é importante clarificar bem o que são objetos. Santos (1997) aponta ainda que “há quem distinga os objetos das coisas, estas, seriam o produto de uma elaboração natural e os objetos produto de uma elaboração social”. Ou seja, as coisas seriam um dom da natureza e os objetos um resultado do trabalho humano. Considerando as modificações que vêm ocorrendo no espaço e a velocidade com que ocorrem pode-se afirmar que, cada vez mais, existem menos coisas e mais objetos.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 20
  • 2 - AUTOGESTÃO DO MEDO E DA ANSIEDADE NA ADOLESCÊNCIA

    Por: Elizabeth Gonçalves Lima Rocha (CTF/UFPI)

    Medo e ansiedade são emoções primitivas cujo objetivo é alertar o homem sobre perigos e ameaças. São, portanto, emoções que acompanham o homem ao longo de sua vida. Entretanto, em demasia causam sofrimento psíquico e físico. A causa dessa situação são várias. Na adolescência, por exemplo, confluem fatores biológicos e sociais. Caracterizada por ser um período de descobertas e de escolhas de várias ordens, o que gera uma série de pressões não só do sujeito sobre si mesmo, como também de grupos como a família e amigos, a adolescência torna-se uma fase propícia para a elevação dos níveis dessas emoções. Nesse minicurso pretende-se por meio de comunicação compassiva e não violenta, reflexões individuais e em grupos conduzir o participante ao exercício da autopercepção a fim de que este perceba e reflita sobre o modo como essas emoções constituem pensamentos e (re)ações. Nesse sentido, deseja-se cooperar para o despertar e o fortalecer de uma consciência pessoal mais profunda e crescente que favoreçam atitudes coletivas mais assertivas e interativas fundamentais para a construção de um ambiente em que se tenha mais qualidade de vida.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 15
  • 3 - CUIDADOS PALIATIVOS, ESPIRITUALIDADE, PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES

    Por: Marttem Costa de Santana (CTF/UFPI) e Verbena Maria Costa Reis Ribeiro Feitosa (CTF/UFPI)

    Pesquisas têm demonstrado que a Cuidados paliativos, espiritualidade, práticas integrativas e complementares são fatores protetores contra comportamento suicida, tabagista, drogadiço e de outras atitudes que podem ameacar a vida humana. A utilização de terapias humanizadas, espititualizadas podem afetam positivamente o emocional de profissional de saúde e da população em geral, gerando gratidão, maior expectativa de vida, melhorando o processo de enfrentamento de doenças, agravos e outras situações estressantes, angustiantes e depressivas. A associação dessas práticas proporciona paz e bem-estar, além de estimular o sistema imunológico. Objetiva-se capacitar profissionais de saúde e estudantes no processo de autoconhecimento, em terapias naturais e holísticas, de forma a mobilizar que a mente, o corpo e a alma se conectem; propiciar reflexões sobre o fornecimento da espiritualidade diária, de atividades de relaxamento, de meditação; e identificar os tipos de cuidados paliativos e de práticas integrativas e complementares, com a finalidade de garantir um atendimento humanizado, com vista a propiciar a otimização da vida da pessoa que procura os serviços de saúde; Debater sobre as interfaces entre cuidados paliativos, espiritualidade e a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPICS). Destina-se ao público-alvo: professores, estudantes e profissionais da área de saúde que procurem incrementar suas práticas na área de cuidados paliativos, espiritualidade, práticas integrativas e complementares. . A metodologia consiste de: 1) Apresentação do referencial teórico; 2) Reconhecimento de práticas integrativas e complementares e de cuidados paliativos; 3) Leitura de textos religiosos, prática da prece/meditação, apresentação de documentários.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 40
  • 4 - EDIÇÃO DE VÍDEO COM O PROGRAMA SONY VEGAS

    Por: Diego Vieira Da Rocha (CTF/UFPI) e Lucas Mariel dos Santos de Sá (CTF/UFPI)

    A proposta de minicurso propõe o ensinamento da edição de vídeo para pessoas sem ou com um conhecimento prévio, o intuito é que o aluno conheça e se interesse pelo assunto, afim de pesquisar mais e mergulhar no mundo áudiovisual. Além disso o minicurso propõe que o aluno saia com noções básicas e/ou avançadas sobre o assunto.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 22
  • 5 - ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DE ACORDO COM A ABNT

    Por: Marcos dos Reis Batista (UNIFESSPA)

    O minicurso tem objetivo de fornecer orientações e normas acerca dos trabalhos acadêmicos de acordo com a Associação brasileira de normas técnicas.

    Carga Horária: 8h
    Pré-requisitos: Minicurso destinado preferencialmente para bolsistas PIBIC JR e PIBEX do Colégio Técnico de Floriano
    Vagas: 80
  • 6 - ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO ENTRE SURDOS E OUVINTES

    Por: Teresa Cristiele de Jesus Pinheiro (CTF/UFPI) e Camélia Sheila Soares Borges de Araújo (UESPI)

    Por reconhecimento da Lei 10.436/02 e sistematização desta pelo Decreto 5.626/05 e diante das demandas sociais que se apresentam, relacionadas a necessidade de docentes, discentes e comunidade em geral na interação básica das pessoas com surdez, percebe-se a importância de ofertar um minicurso de libras. No intuito de melhoria na interação e a comunicação com a pessoa surda, o presente projeto tem o objetivo, qualificar profissionais, alunos e comunidade em geral quanto ao conhecimento das modalidades da língua de sinais. Conhecer sinais relacionados ao dia- dia da comunidade surda e desenvolver competências e habilidades no processo e uso da Língua Brasileira de Sinais.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 20
  • 7 - LA MÚSICA COMO HERRAMIENTA PARA MEJORAR LA CONVERSACIÓN EN ESPAÑOL

    Por: Artur Francisco de Sousa (CTF/UFPI)

    La música es el arte de cambiar los sonidos en una secuencia temporal atendiendo a las leyes de la armonía, la melodía y ritmo, o de producirlos con instrumentos musicales, arte este agradable a casi todas las personas. Basado en esto, este minicurso tiene como objetivo mejorarar la conversación de los estudiantes de la lengua española de forma divertida, utilizando rompecabezas de letras de canciones, tradución de las mismas y allá de esto, cantarlas en alta voz para mejorar la pronunciación de las palabras. Mirar los heterosemánticos e conocer sus significados también será algo a ser trabajado para mejorar la interpretacíon de las letras musicales, y así llevar este conocimiento para otras lecturas. Motivar el estudio del español para tener este idioma como segunda lengua es el foco principal, tanto para alumnos como para maestros que tengan el deseo de poner más animación en sus clases utilizando la música.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 40
  • 8 - O GOLPE MILITAR DE 1964 E A DESTRUIÇÃO DA DEMOCRACIA NO BRASIL

    Por: Francisco Aristides de Oliveira Santos Filho (CTF/UFPI)

    Este minicurso busca compartilhar conhecimentos históricos - amparados em pesquisas documentais - que problematizem a República brasileira pós-constituição de 1946. Vamos debater os avanços e retrocessos vivenciados pela Democracia até mergulhar nas tramas que levaram ao golpe de 1964. Um dos objetivos é desmistificar conceitos e esclarecer os eventos que demarcaram 21 anos de terror político no país, desejando construir um espaço de troca de ideias e conscientização política sobre as conquistas sociais, econômicas e culturais que o Brasil ganhou a partir da redemocratização. Até quando vamos considerar que a Ditadura Militar não foi grave a todos nós?

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 40
  • 9 - PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO MÉDIO: UM ESTUDO TEÓRICO-PRÁTICO DA DISSERTAÇÃO-ARGUMENTAÇÃO PARA O ENEM

    Por: Wallace Dantas (UFCG)

    À luz de uma abordagem dialógica (Bakhtin, 2003) e de uma análise crítico-social dos conteúdos (Vasconcelos, 1992), e pensando na possibilidade de ressignificação do ensino de Língua Portuguesa no nível médio (Dantas, 2015; 2018), neste minicurso, propomos uma análise da prova de redação da área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do ENEM que vem sendo aplicado no Brasil, sob a responsabilidade do Inep, desde o ano de 1998\. Nosso trabalho fundamentar-se-á também na Base Nacional Comum Curricular/BNCC e no Manual de Redação do ENEM/2018, propondo ao estudante do ensino médio um panorama da produção textual que o Exame Nacional do Ensino Médio exige. Os resultados que pretendemos com este minicurso relacionam-se com o acúmulo de conhecimentos teóricos e práticos necessários à prova de redação, no momento da produção do texto dissertativo-argumentativo, principalmente à luz dos documentos oficiais que regem a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio/ENEM. Para tanto, este minicurso está organizando da seguinte forma: no primeiro dia, trataremos dos aspectos teóricos necessários à construção do gênero exigido pelo exame, como também analisaremos algumas produções desse gênero bem avaliadas pelo INEP; no segundo dia, a partir de uma oficina, produziremos em conjunto o gênero em questão para, por fim, avaliarmos as produções construídas.

    Carga Horária: 8h
    Vagas: 50
  • 10 - AÇÕES SUSTENTÁVEIS: COMO UTILIZAR OS 5R’S DA SUSTENTABILIDADE NO SEU DIA A DIA

    Por: Nívea Gomes Nascimento de Oliveira (CTF/UFPI) e Ana Vitória Santos Marques (CTF/UFPI)

    Especialistas, governo e sociedade apresentam alternativas de ações preventivas que surgem com a intenção de contribuir para o bem-estar dos cidadãos, visando minimizar os danos causados pela poluição. Neste sentido, a política dos cinco 5R’s fazem parte de um processo educativo que tem por finalidade uma mudança de hábitos no cotidiano dos cidadãos, formando um novo conjunto de ideias, estratégias e atitudes ecologicamentes corretas, economicamente viável e socialmente justa. A questão-chave é levar o cidadão a repensar seus valores e práticas, reduzindo o consumo exagerado e o desperdício. Diante da atualidade do tema e dos benefícios que a aplicação desses princípios gera para a sociedade e para o meio ambiente, o objetivo do minicurso é apresentar e mostrar ações sustentáveis utilizando os 5R’s da sustentabilidade no cotidiano de cada pessoa, tornando-os cidadãos responsáveis. Adotar ações sustentáveis no dia a dia é uma maneira de conservar o meio ambiente e, de incentivar nossa família, vizinhos e amigos na reflexão sobre suas ações. A política dos 5R’s vem para contribuir como instrumento eficaz para a solução dos problemas do lixo, partindo da responsabilidade social de cada indivíduo, além de torná-los agentes multiplicadores da informação e transformadores do meio em que vivem.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 25
  • 13 - REMÉDIO CASEIRO: ERVAS MEDICINAIS ENCONTRADAS NA ZONA RURAL DE FLORIANO/PI

    Por: Thamina Oka Lobo Paes Landim (CTF/UFPI) e Soraya Oka Lobo (CTF/UFPI)

    Apresenta-se nesse minicurso alternativas de remédios caseiros, aproveitando ervas naturais encontradas em abundância nas zonas rurais do município de Floriano/PI. Objetiva-se identificar as plantas medicinais existentes nas comunidades, com a finalidade de conhecer o alto poder medicinal, além de possibilitar alternativa de renda. Pretende-se engajar os estudantes do curso técnico em enfermagem juntamente com pessoas da comunidade rural, com intuito de compartilhar saberes técnicos e científicos aliado com saberes populares, na (co)construção de tecnologias, oportunizando que os mesmos sejam potencializadores de uma transformação pessoal e coletiva.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 40
  • 14 - TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO

    Por: Éthylla Corrêa (IFPI)

    O minicurso explorará a comunicação, expressão e produção textual oral e escrita em suas formas escorreitas em termos de aspectos linguísticos. Para tanto, serão privilegiadas as bases da comunicação para conversação em público e produção acadêmica escrita; as técnicas e estratégias de comunicação oral, o planejamento e a elaboração de exposições e seminários; a estrutura, função e características de gêneros textuais acadêmicos.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 20
  • 15 - ABELHAS NATIVAS DO BRASIL

    Por: Gênio Soares Da Costa (Assentamento Chapada De Flores, Rio Grande Do Piauí) e Laurielson Chaves Alencar (CTF/UFPI)

    As abelhas nativas são seres fundamentais da biodiversidade, pois prestam serviço ambientais importantíssimo para a manutenção dos ecossistemas. É, através da sua polinização que nos garante a perpetuação das espécies florestais como também as agrícolas que nós consumimos. Portanto, o minicurso tem como objetivo relatar a importância da manutenção e preservação das abelhas nativas do Brasil. Além, de mostrar seu processo de nidificação específico de cada espécie.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 25
  • 16 - AS CONSEQUÊNCIAS DO ACÚMULO MÚTUO DE LIXO ELETRÔNICO

    Por: Maria Angelica dos Santos Alves (CTF/UFPI) e Fábio Rodrigues Borges Filho (CTF/UFPI)

    O lixo eletrônico é considerado um resíduo sólido de coleta obrigatória, configurando-se como um grave problema para o meio ambiente e para a saúde, desde sua produção até o seu descarte, pois são constituídos por materiais que possuem metais pesados, altamente tóxicos. Além disso, esses resíduos são normalmente descartados em lixões e acabam contribuindo de maneira negativa com o meio ambiente e com os catadores que sobrevivem da venda de materiais coletados. O lixo eletrônico é gerado pelo extremo desejo do consumidor por uma nova mercadoria, tornando assim um uso extensivo e exaustivo, e gerando um acúmulo de lixo redobrado, o que aumenta os danos ao meio ambiente. O principal objetivo deste minicurso é apresentar de forma clara e coesa as consequências do acúmulo mútuo de lixo eletrônico, uma vez que o mesmo é um dos problemas ambientais mais graves, e que traz vários aspectos negativos para nossa saúde e ao meio ambiente. Além de apresentar soluções que seja mais acessível para as cidades pequenas como por exemplo pensar sempre de forma sustentável, ou em se aderir a algum programa de armazenamento adequado para uma devolução às empresas responsáveis por meio da logística reversa.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 25
  • 17 - A ARTE DE RECRIAR UTILIZANDO LIXO ELETRÔNICO

    Por: Soraya Oka Lobo (CTF/UFPI) e André Braga Nunes (CTF/UFPI)

    Nesse minicurso apresentaremos possibilidades de criação de chaveiros reaproveitando lixo eletrônico como matéria prima. Pretendemos envolver os participantes de forma dinâmica, num processo de interação, construção e coconstrução de tecnologias, a partir de atividades teórico-práticas com os outros estudantes técnicos da área de informática, compartilhando saberes técnicos e científicos juntamente com os saberes experenciais, ensinando como retirar, por exemplo teclas de teclado danificado, memórias queimadas da placa-mãe, dentre outros. Diante dessa abordagem, almeja-se que neste minicurso, seja palco de discussões teóricos e metodológicos, na perspectiva de orientar os participantes no processo educacional e ambiental não apenas no contexto escolar, mas no seu cotidiano. Além disso, o intuito das atividades práticas é de ampliar e diversificar o conhecimento, proporcionando o processo de construção e coconstrução de tecnologias.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 15
  • 18 - INCUBADORA ARTÍSTICA: A BUSCA DO ARTISTA QUE MORA EM MIM

    Por: Tarso Tapety (CTF/UFPI)

    O minicurso teórico-prático, coloca em pauta a arte e suas relações com o cotidiano. As técnicas práticas artísticas no exercício da cidadania, aproximando os interesses artísticos dos políticos e formando indivíduos críticos e consciente do seu papel na construção de uma sociedade mais justa e equitativa. Objetivos: Apontar aos participantes, através de um olhar performático a forma em que se organiza a sociedade brasileira, enfatizando contradições e os desafios para superar as desigualdades. Como uma atividade artística e por isso também política, o minicurso trabalhará técnicas cênicas associada às questões de relevância social do dia a dia. Organização: O minicurso será dividido em dois momentos: expositivo, será o momento onde discutiremos a condição artística performática do ser e a partir dessa discussão teremos os motivos para iniciar o segundo momento; prático, este momento é reservado para a técnica cênica, usando como pano de fundo os debates do primeiro momento. Nesse sentido trabalharemos corpo, voz, criação de personagem, tudo isso com formação política, discutindo sobre desigualdades socioeconômicas, etnias, gênero, classe, religião e região, cultura popular, identidade e desenvolvimento.Esta proposta de oficina foi elaborada para aplicação a partir dos projetos “Goela baixo”, “Era uma vez” e “Corpo em cena”, estes como objetivo de propor novos olhares na produção cultural artística, e para isso acredita-se que um ótimo passo é permitir a possibilidade de desconstruir vícios e reconstruir novos olhares.

    Carga Horária: 4h
    Vagas: 30
www.000webhost.com